Recordar é Viver – Cristiano Araújo

Cristiano Araújo tem quase a minha idade. Mas ele não significa nada de renovação na política ou na Câmara Legislativa. Ele é um retrocesso. Deixo aqui matéria publicada pelo Correio Braziliense e divulgada pelo Centro de Mídia Independente – CMI Brasil sobre o Deputado Distrital Cristiano Araújo. Ou melhor, Christianno, pois esse é o nome dele.

PM flagra deputado na contramão
Por Correio Braziliense 01/05/2008 às 14:38

Segundo boletim feito por policiais militares, Cristiano Araújo dirigia do lado contrário de via pública, próxima ao Conjunto Nacional, e estava “aparentemente embriagado”. Parlamentar nega

Documento mostra infração cometida pelo deputado distrital

Ana Maria Campos
Da equipe do Correio

Cristiano Araújo: pedido de cassação por abuso de poder econômico

Documento retirado de um computador da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) registra que o distrital Cristiano Araújo (PTB) foi flagrado às 4h26 da madrugada de 22 de novembro dirigindo na contramão, próximo ao Conjunto Nacional de Brasília (CNB). Segundo o texto, o parlamentar “aparentemente estava embriagado”. De acordo com o boletim, o político encontrava-se em seu Toyota Hilux SW4, de placa JGZ 4894 DF, “sem condições de conduzir veículo em via pública”.

Ainda segundo o registro, ao ser parado pela equipe da Polícia Militar, o deputado telefonou para o então chefe da Casa Militar, coronel Edson Soares de Lima, para pedir ajuda. O oficial teria pedido ao comandante da viatura, cabo Larry, que ajudasse o distrital. Cristiano então foi levado até sua casa, no Lago Sul, pelos policiais militares. O caso foi denunciado ontem no programa de rádio Na polícia e nas ruas, do ex-deputado distrital Sílvio Linhares (PMDB). Ele teve acesso ao documento que lhe foi passado por policiais militares insatisfeitos com a condução do caso, na condição de se manterem no anonimato.

De acordo com o artigo 306 do Código de Trânsito Nacional, “conduzir veículo automotor, na via pública, sob a influência de álcool ou substância de efeitos análogos, expondo a dano potencial a incolumidade de outrem” é crime, com pena de detenção, de seis meses a três anos e proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir. Mesmo assim, Cristiano teria sido poupado de uma ocorrência na Polícia Civil, que resultaria na possível abertura de um processo criminal.

O deputado distrital se diz vítima de uma armação política, num momento em que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) está em fase final de julgamento de uma ação sobre irregularidades na sua campanha eleitoral. O distrital sustenta que a história foi distorcida. Ele confirma ser sua a Toyota Hilux e também ter dirigido naquela via N1, ao lado do Conjunto Nacional. Mas nega ter estado na contramão e embriagado.

Ligação

Cristiano relata que voltava de um jantar com amigos e se sentiu mal na madrugada. Conta ter bebido “um pouco”, mas não ao ponto de alterá-lo. Ele tomou, então, a iniciativa de chamar uma viatura da PM que passava pelo caminho para pedir que fosse transportado para casa. E afirma que a princípio os policiais relutaram em levá-lo porque não poderiam deixar o posto de serviço. “Então liguei para o coronel Edson, que é meu amigo, e pedi que ele me ajudasse”, conta Cristiano. Ele também confirma que a ligação foi feita na madrugada.

A partir daí, a história contada pelo distrital bate com o documento da PM. Um policial pegou a direção da caminhonete de Cristiano e o levou para casa. O carro da polícia foi seguindo atrás. “Se eu estivesse embriagado, eles teriam me prendido”, afirma o distrital. “Não entendo por que só agora, depois de cinco meses, essa história veio à tona. Só posso imaginar que há algum interesse de me prejudicar”, acrescenta.

O Correio tentou contato com o coronel Edson, mas não conseguiu retorno. A assessoria de comunicação da PM afirmou ontem que vai averiguar o que ocorreu, porém diz que é difícil comprovar se realmente houve a ocorrência porque o sistema de informática mudou desde o ocorrido.

——————————————————
Personagem da notícia

Campanha milionária em 2006
José Varella/CB – 24/8/07

Aos 24 anos, o deputado distrital Cristiano Araújo (PTB) nunca enfrentou problemas de ordem financeira. Filho de pai milionário, dono de uma empresa no ramo de vigilância, a Fiança, ele conquistou o mandato parlamentar com uma generosa ajuda da família. Segundo prestação de contas apresentada ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF), a campanha de Cristiano chegou a R$ 1,2 milhão, dinheiro que saiu do bolso do pai. O êxito foi enorme: sem nunca ter pedido um apoio eleitoral na vida antes de 2006, ele conquistou o segundo lugar na preferência do eleitorado, com 26.226 votos.

Na justiça eleitoral, no entanto, até agora o distrital não teve a mesma sorte. Ele foi condenado por abuso de poder econômico e ficou inelegível por três anos, a contar da campanha de 2006. As denúncias contra o deputado foram feitas pelo presidente regional do PT, Chico Vigilante. Ele sustenta no processo que cabos eleitorais de Cristiano coagiram e ameaçaram empregados da Fiança para que votassem no então candidato. O distrital nega as acusações. O TRE-DF agora vai apreciar um pedido de cassação do mandato, pelo mesmo motivo.

Jovem e sem experiência política, Cristiano chegou tímido nas sessões. Tinha pouca eloqüência, usava gírias e mascava chiclete durante as sessões. Aos poucos, no entanto, o administrador de empresas foi conquistando o seu espaço. Hoje, já não é mais visto com desconfiança pelos colegas. Muita gente, no entanto, acredita que a grande mentora do mandato de Cristiano é a mãe dele, Maria de Lourdes Araújo, conhecida pelo temperamento forte. (AMC)

Isso é ridículo, nojento. Ainda foi escoltado pela Polícia até sua casa? Lugar de bandido é atrás das grades.

Uma pessoa que gasta R$1,2 milhão não pode ter boas intenções na política. O cálculo é simples. Um Deputado Distrital ganha hoje algo em torno de R$ 9.635,40. Multiplique isso por 13 (meses do ano + 13º) e por 4 (anos de mandato) e teremos o seguinte: R$ 501.040,80. Menos da metade do que foi gasto para se eleger. É, meus amigos… Será que estou ficando louco ou tem fogo de onde sai essa fumaça? Ele foi inocentado na Justiça, infelizmente. O processo, também, era mais esburacado do que queijo suíço. Espero (e lutemos para isso) que não seja perdoado nem inocentado nas urnas!

Me siga no Twitter!

19 comentários em “Recordar é Viver – Cristiano Araújo”

    1. Pelo menos seria uma forma dele diminuir o imenso karma que vem acumulando nos últimos anos, hehehe. Também quero que caiam todos e que devolvam o dinheiro para os cofres públicos, pois esse dinheiro é nosso e para o nosso proveito.

  1. Esse cara!!!é muito mentiroso e safado,espero que as pessoas abram os olhos com a familia Araújo.Além de tudo como pode um fantoche da mamãe representar algum cargo de confiança ainda mais a camara legislativa?ninguém merece…

  2. PQ VOCE SO ATACA O DEPUTADO CRISTIANO, TENTE CRESCER E SER VOCE MESMO. TENTE SER ELEITO SEM PREJUDICAR E FALAR MAL DOS OUTROS!
    DUVIDO QUE VC SEJA ELEITO COM ESSE TIPO DE CONDUTA!
    NEM CONHEÇO ESSE TAL CRISTIANO, MAS AJUDOU MUITO EM VARIOS CONCURSO, INCLUSIVE NA NOMEAÇÃO DO MEU, E VC O QUE FAZ PELOS OUTROS, FALE DE VC E NAO MAL DOS OUTROS.

  3. Nossa, mto bem lembrado. Espero que as pessoas tenham mais “noção” na hora de votar.
    É claro a intenção dele como político… infelizmente é favorecer os “negócios” da família.
    Precisamos mudar. É hora de Brasília ter deputados que pensem no bem da população.

    1. Com certeza, Sofia! As pessoas têm que eleger aqueles que procuram trabalhar pelo social, pelo DF como um todo. Afinal, um deputado distrital representa TODO o DF e não uma ou outra cidade que o proveu maior número de votos.

      E, claro, candidatos que queiram trabalhar para melhorar o DF e não suas empresas e vidas. É muito sério e nunca tivemos cenário tão bom para colocar gente nova e com essa vontade. Deu uma lida nos meus compromissos?

      Brigadão pela visita e comentário! =)

  4. Esse Cristiano Araujo é rídiculo! Em um passeio com amigos em comum o conheci e não fazia idéia do que ele fazia, no meio de uma conversa ele comentou que era deputado e eu falei que não sabia, na maior grosseria do mundo ele virou para mim e falou “minha filha, eu fui o segundo deputado mais votado nas últimas eleições”. Realmente, Rafhael, essa historinha não engana ninguém, muito menos vindo de uma pessoa tão mesquinha.

    1. Pois é, Camila. Acho que nem preciso dizer mais né?
      Pena que você ainda não sabia quem era a peça, senão perguntava a custas do que ele foi eleito com tantos votos e qual o real motivo de querer ser deputado.

      Sujeito patético, tomara que seja impugnado e já morra suas intenções malévolas dentro da política por agora. Intragável!

      Brigado pelo comentário, Camila! Grande abraço.

    1. Hahaha obrigado pela visita e comentário, Diana. Mas fico feliz que vc não poderá cometer tal atrocidade, já que a Justiça Eleitoral muito provavelmente o impugnará por meio do Ficha Limpa. Aliás, ele já está impugnado e tentando ganhar com recurso. Não tem isso na minha postagem, né? Que ele foi condenado por abuso de poder econômico… hmmm ainda tem isso.

      Ah sim, se o comentário foi idiota, eu não sei. Com certeza não foi mal educado. Invejoso tenho certeza que não foi, não tenho inveja de quem claramente tem más intenções na política (tá lá, provado por A+B, só ver os números) e de quem bebe e dirige e ainda se vale de um cargo PÚBLICO para não arcar com as consequências de um ato criminoso como este. Inveja disso?

      Um abraço =)

  5. E aí, André? O Cristiano foi considerado “ficha limpa” e foi reeleito. O que você vai fazer? Não vi você divulgar essa matéria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>